segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Das dores....


Porque só uma via para qualquer dor ser boa. Quando ela é via de crescimento, de aprendizado. Quando ela traz lucidez, quando ela, que nunca é agradável, porque dói, traz consigo alguma consequência boa. Consequência essa, que a princípio não fica muito clara. Porque os efeitos colaterais são tantos. Cara inchada, dor de cabeça, dor de cotovelo. Cabeça girando.

Mas há de ter algo bom pra quem acredita que, se é seu melhor investimento. Há algo de positivo em chorar quando se sabe exatamente porque se chora. Porque há no choro algo que lava. Algo de desapego. Há o outro lado do fim. A possibilidade de um novo começo. De um caminho mais claro.

O irônico da dor é como ela muda quando a gente muda. Como a convivência com ela pode ser pacífica. Como se a resignação fosse cama para o corpo e alma cansados. É engraçado como mesmo quando nada sai como se quer, ainda assim, ironicamente, pode ser a melhor forma que tudo tinha que acontecer.

“It`s been a bad day...” E Ana era bem assim, doida varrida. Vivia dores doídas. Chorava de soluçar mas sabia dar a volta por cima como ninguém. Ana não gostava de pedaços que não coubessem em sua inteireza. De fato, fazia muito, Ana era feita de pedaços desconexos, como um quebra- cabeças que nunca tem fim.

Mas quando Ana achou o fio da meada começou a não se satisfazer mais com partes porque ela já era um todo e nada meio a interessava. Nem meio amor, nem meia raiva, nem meio afago, nem meia hora, nem meio dia.

Então, naquele dia, quando Ana viu Felipe sair pela sua porta Ana chorou. Não chorou meio. Chorou de encher rio, de soluçar, de olhos vermelhos. Mas Ana sabia agora ser inteira, até na tristeza.

E apesar de, porque na vida se vive apesar de. Ana sentia uma calma de quem fez a coisa certa. Agora ela estava pronta pra bater a porta que Felipe deixara entreaberta.

 Daniel Powder - Bad Day

12 comentários:

. fina flor . disse...

uma grande mulher não merece nada pela metade :o)

beijos, amiga, te adoro, qualquer coisa, grite

MM.

paula barros disse...

quando aprendemos a lidar com a dor, o sofrer é mesnos devastador. se tira grandes lições. Mas só a dor ensina a enfrentar a dor, a aprender com ela. Assim penso.

abraços

Sabina, Juliana, Ju, Juliete, Floripes, Flor... tudo depende do olhar e do amor... disse...

Adorei esse post, tem tudo a ver com o que penso sobre a dor... "chorar sabendo porque chora",

obrigada por dar nome aos meus bois

um abraço

Ju

Camila disse...

"O irônico da dor é como ela muda quando a gente muda."

Infelizmente você está cheia de razão.

Mas o bom é que sempre passa, tudo sempre passa!

Beijos
(:

Camila :) disse...

uma grande mulher não merece nada pela metade (2)
gosteei do post,triste maas gostei!

bejoos

D'angelo disse...

Moça te falo uma coisa, FANTÁSTICO! A Ana era tudo que eu queria ser.

Thiago disse...

a doz sempre traz consigo inquietação.

Di disse...

É, a vida é boa, mas não é fácil. Mas tudo vai ficar bem.

Mary disse...

Amei, Lu...
Me identifiquei com várias frases.
Mas dor boa? Sei não, viu?
Meu beijo.
:*

Juliana disse...

O pior é quando a gente se acostuma a sofrer, mas a dor sempre vem trazer um amadurecimento, mesmo que seja tarde! Mas ainda acredito que pra tudo tem uma explicação!
Amar pela metade, aceitar o que vem aparecer pela metade não é bom.
Queria aprender a me dar valor por inteira e não ser só a metade. Mas uma hora eu vou ser essa Ana do texto e vou cansar dessas coisas.
hahuhuahuahuahu


Bom texto!=*

[P] disse...

Sábia, esta Ana. E forte, também. Porque consgeuir manter a calma diante das tempestades é tarefa para poucos...

=*****

Guilhermé disse...

Você foi parar aqui:

http://elenaoquispostar.blogspot.com/2009/02/dia-1.html

Parabéns.
Beijo.