sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Da cumplicidade feminina....


Dizem que os homens são muito mais unidos do que nós, mulheres. E por mais que eu acredite que homens sejam bem mais simples, beirando o trivial, não acredito que, nós, do suposto sexo frágil não sejamos unidas.

Certa vez, me disseram que admiravam minha coragem perante a vida e a capacidade de sempre manter o sorriso nos lábios. Eis que depois de um período turbulento encontro a explicação para tal fato.

Talvez, a primeira explicação seja o fato de que chorar causa rugas e definitivamente não quero tê-las quando for uma balsaka. Mas sem dúvida, essa não é a mais importante. Que ser humano pode permanecer aos prantos quando uma amiga se despenca de casa, em pleno verão carioca, atravessa o túnel e te leva pra almoçar em um restaurante chiquérrimo, só pra te ver sorrindo?

E quando estou quase a beira de um ataque de nervos eis que me surge um telefonema dizendo: amiga, se você não parar de chorar vou aí te bater. Levanta mulher!
E que mulher resiste a um recado na caixa postal: Amiga, hoje é dia de festa, se arruma, vamos beber umas caipirinhas e dar umas risadas.

E aquela mensagem: Joga bola, jogadora! Vamos em frente! Sucedida de uma ligação: Garota, quero saber como você está e onde você está porque vou aí te ver agora!

Tem aquela solidariedade bonita de quem diz: amiga, serei seus braços e suas pernas. Tô aqui do seu lado. Ou ainda, a solidariedade virtual. Do papo diário, dos projetos conjuntos.

Mas não posso esquecer da solidariedade da mulher, que para toda mulher, é sempre a mais querida. Aquele colo que só ela tem. Minha mãe. Mulher guerreira, que sempre me deu a mão, que sempre fez o impossível pelo meu sorriso. Aquela que me arranca de casa para fazer compras no shopping. Que me faz cafuné pra eu dormir.

Então, caros leitores não me venham com esse papo que a classe feminina não é unida. Porque somos sim uma espécie de grande família, com laços nem sempre consanguíneos. Mas quem se importa quando há uma ligação tão mais forte que essa?

A cumplicidade feminina nasce nas ligações diárias, no sorriso, na mesa de bar, na evidência de pontos em comum. De histórias que se cruzam e que caminham juntas. Dos dramas compartilhados, daquela risada gostosa de situações que, um dia, acreditamos que nunca iriam passar.

Se há uma palavra para definir as mulheres que me cercam, creio eu, que seja AMIGA. Obrigada por vocês existirem e por serem meus olhos quando não consigo enxergar o evidente.

 Lenine - Todas elas juntas num so ser



Pessoas queridas, não poderia deixar de falar de um lugarzinho, onde sempre há cumplicidade feminina, o banheiro. Que mulher nunca emprestou um batom e deu um conselho de última hora nesse lugar meio refúgio. Aos que me perguntaram, o Sentidos continua. O blog, No Banheiro Feminino, é um projeto paralelo. Espero a visita de todos nesse banheiro badaladíssimo.

9 comentários:

[P] disse...

Ah, também acho que existe sim uma cumplicidade bonita entre as amigas verdadeiras. E digo mais: há coisas neste tipo de amizade entre as mulheres que vai muito além do que pode compreender quem está de fora, sabe?

Um beijo, Lu.

ps: "Todas elas juntas num só ser" é meu vício auditivo. Canto ela de cor, do avesso e de trás pra frente. Digo que é a minha melô porque, acima de tudo, sou uma blogueira suuuuuuuuuuuuper modesta, né?

:)

larissahirdes disse...

EspeCtaculaaaaaaaaaaaaar!!

Estamos juntas princesa! heheh
De agora em diante e sempre!

;)

Vamos segurar o sol hoje a noite!
Jogar pra fora tudo de ruim!
beijoca

Ela disse...

Somos sim unidas, bem verdade que com nem todas, mas que
existem pessoas que nós fazem muito bem, que nos convidam a levantar a cabeça, sorrir, ficar pra cima, recuperar o desejo de algumas coisas. Estas são pessoas imprecindíveis.

Nestas terras... a sensação é muito parecida.

. fina flor . disse...

sim, Lu, amigas são tudo de bom ;o)

beijos,

MM.

Mary disse...

Tenho orgulho das mulheres a quem chamo de amigas.
E, na maior cara de pau, copio o que mais gosto de cada uma delas, tentando adaptar ao meu 'jeitinho de ser'.
Se elas são ma-ra-vi-lho-sas, eu me torno um pouco delas e me sinto o máximo.
Amei tudinho, inclusive a música do Lenine, que deveria ser nosso hino!
Beijos meus.

Rhayssa disse...

hahaha
Mulheresssss!
:P

paula barros disse...

Concordo com você. Todas as relações tem dificuldades, nossas relações de amizade são intensas, e superamos também as dificuldades, porque os apoios são enormes.

abraços

ceraunavolta disse...

sim, definitivamente, homens sao mais unidos que mulheres...tenho 4 irmas, sei do que falo! ehehhehe

,,, aquela que voa disse...

Felizmente me reconheci muito no seu post: nas ligações com voz de ordem amorosa, no colo de mãe, no carinho sem limite. Gostei do seu jeito de escrever e aí está uma cumplicidade à parte: como pude ficar tanto tempo sem passar por aqui, se percebo que gosto tanto do seu jeito de se expressar? Vou direto pro Banheiro! A página já está aberta. Será que alguém ali tem um rímel? Tô precisando me destacar em algum lugar. Bjs e que Deus lhe dê a capacidade de ser todas em um só ser (dá-lhe Lenine!) sem nunca deixar de ser vc.