quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Do mel e do féu...


Ana não sabia andar na linha. A única linha que conhecia era do seu corpo e da meada dos seus desejos. Nenhuma linha finita interessava, porque Ana é infinda no que sente, no que vive e no que a faz tremer. Porque nada que não tivesse gosto de mel e féu simultâneamente a interessava.

Andou uma época, é bem verdade, procurando sua paz. De fato, empenhou esforços nessa decisão. E enfim, a encontrou. Paz. Mas o fato é que desde então tinha de volta suas noites de sono, dormia tão profundo que anestesiava. E Ana não gostava das noites bem dormidas. O que lhe aguçava mesmo os sentidos era ir e vir entre uma lua e outra.

Aquela paz era tão morna, que Ana mal suportava. Descobriu, então, que gostava de viver entre vulcões. No calor da lava que lava a alma. Porque não era puta, tampouco se assemelhava a qualquer santidade. Mas gostava de sentir a iminência do queimar.

Olhava para a porta e aquela paz a sufocava. Quase como um ato de desespero, Ana pegou sua bolsa e o dinheiro que havia em cima da mesa. Calçou o seu habitual salto doze, se maquiou de urgência, de paixão.

E ali encontrara sua paz. Bem ali, no turbilhão do que se sentia. Nas possibilidades que se escancaravam no exato momento em que batera a porta e saíra. E dessa vez, sem hora para voltar.

8 comentários:

paula barros disse...

Tantas vezes procuramos a paz, e na paz nos inquietamos. Ana dormia profundo. Outros perdem o sono na paz. O importante é ir em busca da chama que incendeia os sentidos e chama a vida para ser vivida.

Um belo texto.

bjs

Daykerson disse...

Quem nunca teve um dia em que a vida nos levasse a uma experiência tão à flor da pele?
Agradeço a visita, e aviso que a história está completa agora. Seu blogger está no meu top five agora. Gosto daqui!
Grande beijo!

O Profeta disse...

Ah mas esta calmaria aprisionada
Sobe ao celeste um frio arrepio
Entre o mar e as negras pedras
Vive um coração de onde escorre um rio
Onde moram sereias douradas
Onde os peixes falam de amor
Onde as pedras são felizes
Onde as águas lavam o rancor


Boa fim de semana


Doce beijo

. fina flor . disse...

eu aaaaaaaaaamo essa música da Amy e como Ana, quando sinto muita paz sinto tédio, kkkk

beijos, flor

MM.

Ela disse...

Identificação total!

amei

Thiago disse...

Ana parece saber viver.

. fina flor . disse...

ouvindo Amy de novo, rs*

beijos, flor e boa semana

MM.

D'angelo disse...

Oieeeeee!!!!Bjo no seu coração minha linda!!!