terça-feira, 7 de outubro de 2008

Só deixo meu coração na mão de quem pode...


Só deixo meu coração na mão de quem pode. De quem pode perder o controle, extrapolar o limite, de viver o hoje, de me arrancar desejo, de me fazer gozar, de me suprir, de me faltar.

Na mão de quem pode fazer da vida eterna piada, champagne com morango, momento sublime, o presente do futuro e o riso do passado. De quem devora tudo como se estivesse anos sem comer. De quem me marca com a alma. Porque só quem vive por inteiro tem aquele carimbo capaz de marcar almas.

Não deixo meu coração na mão de gente irresponsável que se esconde nas palavras, no fundo porque tantas palavras ocultam a pobreza dos sentidos. Não deixo meu coração ao vento, ao relento, com a falta de compromisso. Compromisso único com o sentir do vai e vem dos nossos corpos.

Faz tempo que aprendi que esperar é bem diferente de estagnar. Faz tempo aprendi que se não era pra ser assim não o será. Ainda que tudo indique sim, que pistas invadam meu caminho. Meu destino.

E o acaso? Esse meu maior aprendizado. O acaso é mau companheiro é sombra de quem não invade, não se atira. É desculpa pro não planejado. Acaso só se enche de sentido quando realmente acaso e não descaso.

Então só deixo meu coração perdido no acaso de quem ama livre, de quem não não faz mais jogo.

Porque ciúmes é medo de si mesmo de ver refletido no outro os seus desejos mais profundos concretizados por outro corpo que não o seu próprio. É insegurança de padrões pré- estabelecidos, dos ruídos, das ruínas.

Ruína de ter visto o maior projeto se afundando pela irresponsabilidade de entregar a própria vida na mão do outro e ainda culpar por não ter sido bem vivida. Ruína do sistema, do seu e do meu sistema umbigo.

Então só deixo meu coração na mão de quem ama ou se apaixona quente porque morno é leite de criança que ainda não está acostumada com o fogo da vida.

11 comentários:

Camila disse...

Luciana querida...

Muito intenso.

"De quem pode perder o controle, extrapolar o limite, de viver o hoje, de me arrancar desejo, de me fazer gozar, de me suprir, de me faltar...."

Em resumo, de quem pode ser.

Pq olha...ser, em tempos de máscara, é difícil.


Amei seu último parágrafo.


Beijocas!

Leonardo Werneck disse...

Moça, que texto é esse? PUTZ muito bom!

paula barros disse...

Muito lindo. Mas eu não consigo nada disso. buá,buá, buá.

(já pensou em tirar essas letrinhas do coméntário? são chatinhas.)

beijos

instantes e momentos disse...

voltando aqui para te desejar um belissimo e feliz final de semana.
Maurizio

Jana disse...

Querida, depois de ler e reler me resta perguntar, onde eu assino?

Beijos

paula barros disse...

A foto do banner está ótima, diferente.
Muito bonita.
beijos

Charmoso disse...

Bem, eu acho que tenho uma táctica melhor, que é não deixar o meu coração na mão de ninguém!

bjs com charme

Luciana disse...

Que vc nunca perca sua inspiração...seus textos estão e são lindos...

mega abraço p vc chará!

Quase Trinta disse...

Simplismente fantástico esse texto, tenho q aprener com suas palavras e colocar o meu coração nas mãos certas...

adorei

FINA FLOR disse...

Lu, meu anjo, muito bom!!!

jà ouviu uma menina chamada Kátia B?

Ela tem uma música chamada Só deixo meu coração na mão de quem pode.... ou algo assim... me lembrei no ato

beijocas

MM.

Tarci disse...

perfeitoo!

bjo linda...