segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Coisas que não devo esquecer...


Estava eu em meio aos meus devaneios femininos conversando com uma amiga a respeito da minha monografia. Conversávamos sobre a hipocrisia do ser humano que finge viver em um mundo perfeito e mascara seus pré-conceitos atrás de um discurso moralista que não convenceria nem uma criança de cinco anos.

Conversávamos sobre a atuação das mulheres no mercado de trabalho e como os homens lidavam com suas supostas chefes e como algumas piadinhas do tipo “mulher no volante perigo constante” passam desapercebidas e até nos parecem naturais nessa sociedade inegavelmente machista em que vivemos.

Trocávamos figurinha do que acreditávamos ser o perfil da nova mulher, a mulher do século XXI. Cheguei a lembrar das palavras que minha querida mãezinha me ensinara desde o berço. – Minha filha seu primeiro casamento deve ser com seu emprego. Se for para ficar ao lado de um homem que seja por amor e não por falta de opção.

Estávamos ali, duas mulheres modernas quando um ser humano (se é que esse indivíduo reside no planeta Terra) nos interrompe. Abaixo pequenos fragmentos das elocubrações desse cidadão:

- E aí gatas, o que vocês tanto fofocam?

Confesso que fiquei muito tentada a virar as costas e me retirar do recinto. Que espécie de ser humano chega sem ser convidado a uma conversa, interrompendo o assunto com a interjeição gatas? Como tenho me esforçado em praticar a paciência respondi ao meu nobre colega:

- Sobre a participação das mulheres no mercado de trabalho. Eis que recebo a seguinte resposta:

- E uma mulher como você precisa trabalhar?

Fiquei pensando em que grupo de mulheres aquele ser me encaixara. Por tolice resolvi indagar:

- Que tipo de mulher?

- Ah, você sabe. Maior gata (parece que o camarada acabou de incorporar o vocábulo gata em seu “vasto” conhecimento da língua portuguesa). Até parece que você não arrumava qualquer um que te bancasse.

- Querido colega, quem disse que eu quero ter ao meu lado “qualquer um”? E outra coisa que tipo de ser extraterrestre você é para achar que eu quero que alguém me banque?

- Ah, fala sério você é maior patricinha. Vem sempre arrumadinha para faculdade. Não to querendo te ofender não. Tô fazendo um elogio, você é um mulherão.

De fato devo ser um mulherão perto de uma criança. Mas realmente fiquei em dúvida se aquele sujeito era uma criança ou um acéfalo. Como sou uma lady resolvi terminar a conversa por ali mesmo antes que a amiga com quem conversava antes de sermos interrompidas tivesse motivos para ficar sem graça.

- Querido, realmente esse tipo de assunto não deve ser conversado com qualquer um, mas bom saber sua opinião. Assim confirmo minha teoria de que não se fazem mais homens como antigamente.

Virei as costas e resolvi anotar no meu bloquinho imaginário, onde anoto coisas que não devo jamais esquecer:

1- Não fazem mais homens como antigamente. Lords são uma espécie em extinsão;
2- O ser humano tem uma forma muito peculiar (para não dizer absurda) de eleogiar uma pessoa;
3- É preferível ser antipática a agredir meus ouvidos escutando tamanha asneira.

16 comentários:

Ultra Violet disse...

Isso mesmo. Excelente reflexão.Já não encontramos mais homens, na verdadeira acepção da palavra. Ficamos exigentes demais e com isso , as oportunidades para ter um casamento baseado no sentimento e não no interesse, ficaram escassas. Concordo com sua mãe. Bem, se vê que sua educação vem de berço.

Beijos.

Su disse...

Infelizmente os homens deixaram de existir, é fato, mas as mulheres está em massa crescente sempre a frente do seu tempo, só que eles não aceitam isso. Aquele discurso que a mulher venceu e está em todos os lugares e isso é bom, é pura mentira! Eles não gostam dessa dominação feminina porque continuam machistas, mas... estamos ai e ganhando todas as posições, ainda somos injustiçadas, mas vamos vencer!!

Vixe, acabei fazendo um discurso completamente feminista... rsrs*

Beijos e obrigada pela visita!!

Guilhermé disse...

Excesso de "nunca" e "não existem"... o cara é um imbecil, mas o discurso dele funciona, não com vcs, mas funciona, por isso tb se reproduz.

Todos nós possuimos amigos que de alguma forma reproduzem esse tipo de discurso, e sob essa ótica, é engraçado e não revoltante.

Generalizações impedem muitas vezes que vejamos as particularidades do próximo.

Da mesma forma que nós homens ainda temos que evoluir muito nas relações com mulheres, as mulheres precisam se despir de seus próprios machismos.

Ah, e meus pais não são tão antigos assim... ou são? hehe

paula barros disse...

Oi gata rsrsr

Um post para homens e mulheres reverem seus comportamentos e atitudes.
Muitas vezes me espanto com a involução dos comportamentos de homens e mulheres. E assustadoramente as mulheres tem me surpreendido no quesito involução, pelo menos as filhas de amigas (17 a 25 anos) quando se refere a relação amorosa.

abraços

Gabi disse...

bah.
muito bom
eeu me sinto extremamente hon rada em ter um lord ao meu lado
pois sei que ele é raro...
bjos

[P] disse...

Com certeza é preferível ser antipática, Luciana.

É por isso que, quando algo assim acontece comigo, pergunto logo de cara um "olha, não é por nada não, mas... eu já te mandei à merda hoje?", me levanto e vou embora sem olhar para trás. Tem certas coisas na vida que são pura perda de tempo...

Beijinhos.

Thiago disse...

hahaha ah mais ele é/agiu um babaca! :)

... disse...

Realmente o sujeito que chama uma mulher em pleno ano de 2008 de gata é uma besta quadrada mesmo...
Para algumas pessoas é difícil compreender que seres humanos evoluem sejam eles homens ou mulheres.
Acho que no fundo os homens hoje estão assustados com essa nova mulher que se desenha diante deles,e homem assustado comporta-se como uma besta mesmo.
Só espero que eles percam o medo logo e adotem uma nova postura masculina diante de nós, que somos um modelo novo de mulher com uma nova visão do mundo.
Grande abraço.
Glaucia

André Aires disse...

Eu acho que ele pegou pesado. Mas não jogue fora os elogios.

E este assunto, homens como angigamente, hum... e será que existem mulheres como antigamente?

Acho que tá faltando e a gente aceitar o novo memos. Do jeito que é!

GUILHERME PIÃO disse...

Sou de antigamente...precisamente de 1956....não pelo tempo mas de cabeça...ehehe
Sua mãe deve ter dito :
Antes só do que mal acompanhada...
Abraços

Ela disse...

Acho que modernizaram muito e quase tudo. Porém as mulheres em sua grand e maioria, gostariam que a forma de tratar fosse com delicadeza.
Porém, temos que nos lembrar que muitas mulheres ja foram arrastadas pelos cabelos. Não é uma questão de ontem ou hoje, mas de sensibilidade, que fica bem em qualquer tempo!

Colibri disse...

Olá,

Sempre que possível, gosto de relativizar as coisas...

Por vezes, uso a palavra "gata" ou "gatinha" mas só faço isso com a minha mulher... rsrsrs, ou excepcionalmente, com uma amiga nossa bem chegada em que não vá dar nenhuma reacção errada...

A atitude de muitos homens está se degradando, é verdade, mas não são todos assim, felizmente... Na verdade, o comportamento de muitas mulheres também se tem degradado...

Farto-me de rir (lamentando... claro...) quando vejo alguns amigos meus se atravessando na frente de uma mulher para passar numa porta... Acho que isso é o tipo de atitude que nunca irá ficar bem num homem, por mais que se concretize a igualdade de direitos entre os dois sexos. Porque uma coisa são direitos, outra coisa, são as especificidades dos sexos na nossa sociedade... Uma mulher esperará sempre ser tratada de forma diferente de como um homem espera ser tratado...

Ainda, nos dias de hoje, posicionar a mulher como objecto sexual, de consumo e cativadora de renda mensal é lamentável...

Mas se formos a ver bem as coisas, tem mulher que pratica esse papel... e depois temos homens com cérebro do tamanho de ervilha que se deixa influenciar por esse tipo de perspectiva e que depois vão importunar quem não devem...

Beijinhos
Colibri
------
As minhas últimas rapidinhas nos blogs…
Quero de volta o meu grito de guerra!
Parte 7 – As casas de adobe...
Macros do outro mundo (parte 1)
Tenho novo Blog – Cair na Gandaia (Só é obrigatório rir…)

meus instantes e momentos disse...

parabens pelo post, muito bom.
Tenha um belo final de semana.

Apareça
Maurizio

Marco disse...

Talvez precise frequentar novos lugares. No fim acabará encontrando pessoas bacanas que não te chamem apenas de gata, gata. hehe

Mas o que me preocupa mesmo é a monografia... isso sim será difícil de encontrar. ai, ai...

Di disse...

Mal-educado, bocó e machista. Você foi até muito legal de dar alguma atenção pra ele.

Não entendi a parte em que ele disse que mulher vaidosa tá pedindo pra se bancada... como assim?
Veio te tachando disso e daquilo, coisa mais inconveniente.

De fato, há muito homem tosco assim por aí.

Beijo, grata pelo link! :)

Rafaella Coelho disse...

Certas pessoas não merecem comentários rss
beijos!