quinta-feira, 12 de junho de 2008

La amour...


Algumas palavras transbordam, escapam, suplicam para serem postas em papel, ainda que seja virtual. Hoje acordei com a palavra amor pulsando no peito, escorrendo pelos dedos, querendo entrar em cena.

Não se trata só de amor romântico, trata-s e de amor pela vida, pelas flores, pelas pessoas, por aquilo que se tem, pelo que não se tem e mesmo assim se quer bem.

Ok, confesso que o clima de dia dos namorados acendeu o fogo dessa palavra e me impulsionou a escrever sobre ela. Mas será que só dia 12 de junho é dia de lembrar de amor?

Penso que se o mundo está da forma que está é justamente pela carência dessa palavra que transborda. Falta de amor pelo próximo, pelo lugar em que se vive, pela natureza, pela mãe, pelo pai, pelo filho. E o pior- o desamor de si mesmo.

Amar é sentimento pra quem sabe, pra quem se deixa guiar pelos raios de sol, pela lua, pelo arco- íris.
Amar é a arte do vagabundo, porque se ama sem motivo, sem finalidade, apenas ama.

Não se ama porque é amado, porque rejuvenesce, ou porque faz sorrir. Ama-se e ponto. Há quem busque explicação para esse verbo. Para essa criaturas raras aqui vai um alerta: Amar não é verbo de ação e sim de emoção.

Colocar amor em tudo que se faz é uma forma de registrar uma parte sua em cada gesto ou ação. É como quem diz: Olha fiz assim porque isso é uma pequena parte de mim.
Por mais clichê que pareça tudo que se faz com amor brilha mais. Amor é semente da árvore da criação.

Amor cuida, ama mas não fere. O que fere é a falta dele. Transforma dia de chuva em um momento único para ver um bom dvd comendo pipoca. Transforma dia de sol em energia vital e biológica, prana.

Tem sim seus efeitos colaterais: pele viçosa, sorriso nos lábios, provoca rejuvenescimento, felicidade aguda, brilho nos olhos, música no chuveiro.

Amor é de graça e quanto mais se dá, mais se tem. Então ame tudo que te cerca, que te faz bem, que te alegra, que colore, que agrega.
Ofereça um pouco hoje e um pouco mais amanhã, lambuze-se de amor, se empanturre dele.

Pra quem tem namorado, hoje dê um pouquinho mais de amor, faça amor, viva amor. Dê sorriso gratuito, cheiro de mar, gosto de pão de mel. Gozem a vida juntos e derramem o líquido dos deuses.

Pra quem ainda não possui amor romântico, dê amor da mesma forma, saia para brindar a vida, as amigas, os amores passados e futuros, prepare o ventre para que ele seja morada do próximo amor. Dance, cante, pule e brinque, ame incondicionalmente a sensação de liberdade, de oportunidade.

E para os amores da minha vida que hoje eu seja capaz de dar ainda mais amor, mais paixão, mais energia, mais química, mais dias ensolarados.

Para aquele que aguça meus sentidos um brinde ao nosso sorriso, ao fogo que arde, ao dia de hoje, a nossa cumplicidade.

5 comentários:

Ela disse...

Eu adoro quando o amor quer entrar em cena...

Ele sempre aprimora o clima...

E em dias 12 , 13 , 15 ou qualquer outro, é simplesmente maravilhoso fazer amor com o mundo.

Feliz dia dos namorados

Rafaella Coelho disse...

Lindo texto!
Muito amor para nós!
Beijos

Guilhermé disse...

Amor é uma palavra q vem caindo na banalidade, pois apesar de tão declarada é muito pouco praticada... Espero q seu belo texto inspire aqueles que declaram seu amor, a também praticá-lo, e aprendam q um gesto de amor é transformador enquanto as palavras são inspiração...
Parabéns pelo texto, menina.

FINA FLOR disse...

eu também acho que o ama-se e ponto, amiga Lu! belo texto!!

beijos e saudades

MM.

Alessandro Martins disse...

Luciana,

estou divulgando dois blogs sobre SwáSthya que comecei a editar:

http://www.eupraticoyoga.com
http://www.derosealtodaxv.org.br/blog

O primeiro é meu blog pessoal e o segundo o da Unidade Alto da XV, em Curitiba. Espero que goste.

Abraços do Alessandro.