quinta-feira, 7 de maio de 2009

Do que é pleno...


Porque se padeço de algum mal, seu nome é plenitude. Porque sou plena em minhas vontades, sou plena de desejos que são plenos na vontade de serem saciados. Nada me habita que não seja pleno. Pleno de energia e querer. Nada pode vir em pedaços. Das marés que jorram de mim, todas elas plenas.

Não me peça para não ser plena. Tampouco na chegada e muito menos na saída. Não sei ir embora sem causar um vendaval, sem que minha despedida seja holywoodiana. Não sei pisar em ovos e ser doce sem qualquer tipo de peçonha.

Se algo me marca, marca como ferro quente, não sofro de amnésia, a menos que seja do tipo seletiva. Costumo viver meus dramas como novela mexicana e tendo a encerrá-los como Merlyn Monroe. Derramo lágrimas de champagne e mergulho facilmente em suas borbulhas que em questão de segundos me carregam de volta ao meu devido lugar.

Não suporto aquelas frágeis criaturas que vivem na janela a espera. A espera do amado que nunca chega, a espera do momento certo, a espera da vida, de algo arrebatedor. Não, definitivamente não suporto as mal comidas, as pudicas.

Se amo, amo pleno. Se não gosto, não gosto na mesma proporção. Não finjo gozo e não termino antes que alcance o pleno. Não disfarço o que meu corpo clama, não despejo palavras sussurradas e tampouco desperdiço adjetivos.

Se vivo, vivo plena. Não sei viver com o dinheiro contado, sem roupas novas no armário, sem um sonho que impulsione, sem um desafio que se vença. Não saio de casa sem um bom corretivo e sem meu salto alto.

Se caio, caio plena. Plena de graça e anseio por levantar. Porque quem não cai, não aprende a se reerguer e uma vida em linha reta, me parece, no mínimo, insossa. E quem não ri de suas quedas, endurece, cria casca.

Se eu quero, ah eu quero. Porque não sei querer só um pouquinho, e não me sacio com pouco. Quero muito, muitos. Tenho sede dos quereres e se não há nenhum em mente, crio. Invento. Por que se sou eu quem faço minha história, a faço como bem entender, certo?

Então no fantástico mundo de L.A. sou minha diva, bem criada, bem amada e bem comida.

 Hooverphonic - Mad about you

10 comentários:

Felipe disse...

Tu me chamou de Thi????rs Acho que tu errou de blog menina!rs

Beijp

Felipe disse...

Porque quem se joga sofre mais.
Porque quem se joga vive mais.
Porque quem se joga ama mais.
Porque quem se joga se sente mais amado, muito mais.

Juliana disse...

KCT EU AMEI MUITO!
uhahuauhauhauhuhauhauhauhauha
Acho tão lindo quando os teus textos cabem em mim!

que jeito lindo de escrever! :)

Bom fim de semana linda, linda!

Camila disse...

Não suporto aquelas frágeis criaturas que vivem na janela a espera

tbm naum gosto, ameei o texto *-*

Simple Me disse...

PERFEIÇÃO!
O que me define? INTENSIDADE. Estamos quase lá!
Beijos!

Cαmilα ♥ disse...

Plenitude deve ser estonteante... assim vejo você!

BeijOs

Tatiana disse...

Fantastico o texto inteiro!
Ser pleno é garantir uma vida muito mais feliz!

Um beijo carinhoso

Clarice disse...

E viva a plenitude, porque não há outra forma melhor de ser.
beijos da janela

Maria disse...

Acho linda tão intensidade, tuas certezas, tua vida! Esta que resplandece e eu posso sentir daqui. És muito linda, muito linda.

Meu beijo

Di disse...

Eu acho que onde há sentimento tudo é intenso. ;)